Programa de Transporte Aéreo Tático Europeu

O Programa de Transporte Aéreo Tático Europeu (ETAP) foi desenvolvido com vista a melhorar a capacidade operacional de transporte aéreo dos países europeus, com o objetivo de atingir uma maior interoperabilidade entre as nações que defendem os céus da Europa.

Assim, o programa pretende melhorar e desenvolver táticas, técnicas e procedimentos comuns de forma a ultrapassar os desafios de pilotar aeronaves de transporte no ambiente operacional moderno conjunto e combinado.

O ETAP subdivide-se em três programas distintos: European Tactical Airlift Programme – Course (ETAP-C); European Tactical Airlift Programme – Instructor Course (ETAP-I); European Tactical Airlift Programme – Training (ETAP-T).

O ETAP-C procura fornecer às tripulações um curso abrangente de táticas de transporte aéreo, de forma a aprimorar o conhecimento tático das forças envolvidas e expandir a área de conhecimentos em cenários hostis. Nos cursos, as tripulações são treinadas em simulações de cenários reais, expondo-as a ameaças Ar-Chão e Ar-Ar. Este tipo de exercícios é fundamental para aumentar a interoperabilidade entre as nações da Europa.  

Por sua vez, o ETAP-I fornece aos pilotos instrutores de transporte aéreo europeu uma maior experiência e conhecimento sobre os diferentes tipos de aeronaves de transporte existentes, bem como as suas respetivas capacidades no desempenho das missões associadas. O ETAP-I permite que os pilotos instrutores assistam as tripulações durante a preparação do voo e os apoiem durante a execução das missões, o que contribui em larga escala para o desenvolvimento dos mesmos. 

O ETAP-T – atualmente a decorrer a partir de Beja - é um exercício de treino, que se realiza anualmente, onde são desenvolvidos cenários adequados a cada tipo de missão, de acordo com as características e requisitos de cada aeronave participante. O ETAP-T tem, normalmente, a duração de duas semanas e oferece oportunidades de treino tanto para as tripulações como para as restantes áreas operacionais envolvidas. Aqui, treina-se com o objetivo de gerar uma maior interoperabilidade entre os diversos países participantes, criando uma base para o sucesso das operações conjuntas e combinadas. 

VEJA AS FOTOGRAFIAS